06/05/2012

viagens e sítios - Londres

Escrever sobre Londres* é uma tarefa complicada. Descrever a cidade, mais ainda. Sabem aquela sensação de acabar de conhecer alguém e parecer-nos que conhecemos essa pessoa há anos? É isso que se passa com Londres. É uma cidade que todos conhecemos, ainda que nunca lá tenhamos ido.

Nada nos surpreende verdadeiramente, apesar de cada passo e cada esquina serem uma descoberta constante. Sim, talvez a melhor forma de descrever esta cidade de múltiplos rostos, seja dizê-la como um livro que lemos ao longo da vida e, embora conhecendo cada passagem, descobrimos sempre um novo sentido.

Os múltiplos rostos da cidade estão literalmente relacionados com os milhões de pessoas que ali circulam, diariamente, sem possibilidade de distinção entre os naturais e os de fora, os turistas e os imigrantes, os de passagem ou os que estão para ficar. Embora a panóplia de raças, etnias e nacionalidades nos possa dar uma noção da diversidade, a própria cidade não nos permite concebê-la de outra forma. Londres é assim: a multiplicidade una.

Os rostos múltiplos também podem ser outros, os da própria cidade, das ruas, dos bairros, das zonas. Dentro de Londres cabem várias Londres. Desde zonas francamente modernas a outras mais tradicionais, ambientes mais recatados e clássicos, a outros mais alternativos, há de tudo, para todos os gostos.

A oferta a nível de transportes é rica, com inúmeros autocarros de frequência constante (mesmo durante a noite) que nos encaminham para todas as zonas da cidade, e ainda o metro, que embora tenha uma rede gigante, é de utilização intuitiva, prático e cómodo. Sem dúvida que uma das vantagens de andar de autocarro é poder subir para o segundo andar e ver a cidade como se estivéssemos num dos autocarros turísticos (contudo não é seguro subir para o andar superior já de noite).

Planear a viagem e os passeios é essencial, porque não se tem noção das distâncias olhando para o mapa. Londres é bem maior do que se julga e ir «só até ali àquele cruzamento» demora mais tempo do que se pensa. Ainda assim, é agradável caminhar pelas ruas londrinas, sobretudo se tivermos a sorte de não estar a chover.

Os dias são sempre ricos, em jardins, praças, zonas comerciais, mercados, ícones históricos e museus...!

Do meu ponto de vista, o principal defeito que encontro na cidade, mas que tem inevitavelmente que ver com a sua própria vida, é a quantidade de gente por quase todo o lado. Nas principais avenidas, nos principais pontos turísticos, há sempre imensas pessoas, o que se torna algo cansativo, com tanto desvios e encontrões, chegando até a cansar  visualmente. É impressionante que uma cidade tão grande consiga ter sempre tanta gente em quase todo o lado.

Em contrapartida, tivemos a sorte de ficar hospedados em casa de amigos, numa zona tranquila, de vivendas, onde as raposas se passeiam pelos quintais, com uma paragem de autocarro mesmo em frente da porta. Ficámos na zona de Dulwich, relativamente perto de Brixton. 

Em termos gastronómicos, há pouco a dizer... a oferta de restaurantes ou fast food é imensa, desde mais caros a mais baratos, passando por cozinha de quase todo o mundo, sendo que destaco a chinesa, japonesa, indiana, tailandesa... 

Mas quanto a comida, temos de preparar um post sobre a nossa experiência num dos restaurantes do... Gordon Ramsay. De resto, é de destacar o Borough Market, com imensas coisas possíveis de ir experimentado, desde azeitonas, a mostardas, azeites, queijo, pães, enchidos...!


* Fomos a Londres em Abril de 2012


Raquel






8 comentários:

Pepita M. disse...

É uma das minhas cidades favoritas! Há sempre tanto para fazer e tanto para dizer!!! Nunca me canso de Londres e estou sempre ansiosa por voltar.
Aguardo o posto sobre o restaurante do Ramsay.
Em Fevereiro estive por lá e tentei marcar para o Savoy Grill, mas já não dava. Acabei por não ir a nenhum do Ramsay, mas experimentei um do Mark Hix, O Hox Oyster & Chop House. Se quiserem espreitem lá pelo blog.
Em Junho quero ver se experimento o Fifteen de Amsterdão, do Jamie Oliver.


Parabéns pelo vosso bolg e venha depressa esse post com a experiência num restaurante do Ramsay. Quero muito experimentar. Do que vejo na tv é um dos meus chefs preferidos. :)

Liliana Costa disse...

Desde ja os meus parabens pelo blog!! Esta fantastico :)
Quanto a Londres, uma descricao fantastica, e concordo, quem me dera poder visitar Londres com menos gente. So a um domingo de manha antes de as lojas abrirem e que se consegue passear em Oxford Street.
Mas devido a multiculturalidade tem de tudo para todos os gostos. gosto especialmente dos jardins onde passo horas a passear e gosto da rede de transportes que tanto jeito da :)

S* disse...

Tenho mesmo de comprar uma boa máquina fotográfica... as vossas imagens são de babar. :) Londres é um sonho.

les bons vivants disse...

Pepita M.,

a experiência no Ramsay foi muito boa. Estivemos a ver os vários restaurantes e optámos por este! Fica para breve o post! :)

Liliana Costa,

obrigada! Concordo com o que escreveu! :)

S*,

obrigada ;)


Raquel

DNC disse...

"Sabem aquela sensação de acabar de conhecer alguém e parecer-nos que conhecemos essa pessoa há anos? É isso que se passa com Londres."

Esta frase é, para mim, a melhor descrição de sempre daquilo que eu sentia em relação a Londres antes de lá ir pela primeira vez. E quando a conheci tornei-me londrina de coração. É a minha cidade favorita de todos os tempos e a única que não me canso de revisitar.

Já agora, parabéns pelo blog! Óptimas sugestões de receitas, restaurantes, lugares... Adoro!

les bons vivants disse...

DNC,

obrigada pelo elogio e venha sempre que quiser! :)


Raquel

Anónimo disse...

informações Awesome, muito obrigado ao escritor do artigo. É compreensível para mim agora, a eficácia ea importância é incompreensível. Mais uma vez obrigado e boa sorte!

les bons vivants disse...

Anónimo,

ainda bem que foi útil!

:)


Raquel